domingo, 11 de abril de 2010

Aquele abraço

11 de dezembro de 2009.

Eu não iria para o curso, mas não sei porquê até hoje fui. Decidi ir de uma hora para outra, meu coração mandou, obdeci. Não me decpecionei. Dia 11 deveria ser um mero dia, mas não foi. Conheci mais aqueles que eu achava que conhecia. Houve uma festa, uma festa de 7 pessoas. Me diz, alguém já foi a uma festa de 7 pessoas? Eu já. O número é pouco, eu sei, mas foi o necessário para que houvesse uma bagunça básica, uns bons momentos, boas risadas,  abraços, desejos de final de ano e aquele sentimentozinho de já estar sentindo saudade.
Fui para a despedida de minha turma, peguei meu boletim e nisso, as pessoas que foram para fazer o mesmo que eu, organizaram uma pequena festa, bem pequena mesmo. Pensamos que nosso professor fosse participar, ficar junto conosco, afinal estávamos fazendo essa festa mais para ele do que para nós, mas infelizmente, Wanderson, nosso professor teve de aplicar prova para uma turma, e nisso, acabou não ficando junto com a gente, mesmo assim, de vez enquanto iámos lá, entregá-lo uns pedaços de bolo de chocolate, copos de coca-cola e até salgadinhos. Ficamos nisso até o final da festa, depois ele apareceu, a prova terminou e ele foi nos ver. Quando isso aconteceu, duas meninas já haviam ido embora, restaram apenas 5 pessoas. Eu me encontrava em meu pequeno delírio, raspando uns chocolates que estavam no prato do bolo, acredite em mim, estava uma delícia!
Tiramos algumas fotos, nos abraços repetidas várias  e várias vezes, não nos cansávamos de desejar um a outro feliz natal, próspero ano novo e tudo mais. Isso era o mínimo.
Naquele dia, vi a tamanha afeição de que eles tinham por mim, cheguei a me surpreender bastante, ainda mais em relação ao Wanderson. Sabe quando uma pessoa te abraça, mas te abraça com vontade? Então, isso aconteceu. Eu senti o abraço. Senti o tamanho do carinho havia entre nós. Foi tão verdadeiro, tão real. Foi aquele abraço, nunca ninguém havia me abraçado da mesma maneira. Foi inesquecível. O abraço. Aquele abraço...
Agora sinto falta dele dançando seus rockinhos antigos na sala de aula, coisa que eu achava brega naquela época. Sinto falta daquela sua alegria de todos os dias, era tão contagiante. Sinto falta de suas dançinhas engraçadas, sinto falta dele me zoando, corrigindo meus erros, me encinando, de quando me chamava de "My bby girl" extremamente alto no meio daquela gente comprando lanche na cantina, ele fazia isso para me irritar e ás vezes me irritava mas no fundo, eu gostava.
Lembro que chegava toda feliz em casa, contando as novidades vividas entre nós.
Wanderson, sem dúvidas alguma, você foi o melhor professor que eu já tive e um dia, eu ainda invadirei a sala que você estiver só para ter mais uma aula sua. Só para matar a saudade, amenizar um pouco.
Eu queria poder te explicar, você me mudou muito. Uma grande influência. Uma boa influência. Se não fosse por você, eu não gostaria de Beatles e Gun's 'n Rouse hoje. Obrigada por me acrescentar tantas coisas boas em mim, em meu coração. Obrigada. Obrigada.

Um comentário:

Nicky disse...

Incrível!Já aconteceu cmg!
adoro seus textos!