sábado, 30 de abril de 2011

Enxergue

Eu te disse que tenho o costume de escrever textos dedicados as pessoas que são especiais para mim no dia do aniversário dela. Mas não te disse que o seu texto foi o qual eu mais me preocupei em escrever. As palavras saíram dificilmente, é complicado falar de você e de nós mas, mesmo assim, me esforcei.
Se eu já tinha o maior cuidado para encaixar palavras e vírgulas, criar frases corretamente, sem que entrassem naquele meu mundo repleto de pensamentos confusos que saiem de um lugar e levam a lugar algum. Ontem, cuidei disso mais do que já cuido. Importei-me com todos os significados, todas as verdades. Queria descrevê-las ali, para você, mas não foi possível. Há tantos sentimentos mesclados que fica complexo demais quando tento descrevê-los separadamente ou como são quando estão juntos juntos.
Após uma semana, me arrependi de ter descrito tais sentimentos e por ter me esforçado. Você não os merece. Não merece, também, saber de sua existência em mim. Primeiro, deveria crescer, saber pensar, ter consciência do que é o mundo, do que é a vida, do que são os sentimentos. Percebi que te vejo como uma criança recém-nascida que tem a mesma idade que a minha mas, que ainda sabe pouco sobre tudo que existe ao seu redor, sobre tudo que você pode tocar, provar e sentir. Não sabe nada, mas acha que sabe tudo. Isto é o que eu chamo de "grande ilusão". Uma curiosidade: em que lugar você chegará com tal ilusionismo? Tenho noção de qual lugar seja. Não será bom. Acorde, menino. Acorde, enquanto ainda há tempo, enquanto ainda tem vida e vontade de viver.

3 comentários:

Natalia Campos disse...

Amei o texto. Veracidade à tona em cada palavra. Estou te seguindo, chérie. Obrigada por me seguir também. Beijos. Au revoir (:

Thaís A. disse...

É muito triste mesmo ver alguém a qual você se preocupa tanto, mas não é recíproco. Já aconteceu, e acontece tantas vezes...
Gostei do texto, muito bonito!

disse...

Nossa, esse texto foi pra mim, né? Na semana passada também descobri que uma pessoa não merecia, inclusive, aquele texto que você comentou (Assinado, você). Triste, essas crianças, né? =*