segunda-feira, 9 de maio de 2011

Um conselho de mim para mim

Uma música infantil, barulhos de carro e sirenes passando na rua, milhões de tarefas esperando serem feitas por você, pouco tempo, pouca música, pouca leitura, pouca arte, poucos sentimentos, poucas emoções. Difícil ter uma inspiração assim. Difícil escrever assim.
Mas você é teimoso, continua aqui tentando escrever nem que seja algo que não faça o mínimo sentido possível. Você não espera que saia algo extraordinário num dia morto como esse e espera por um que esteja vivo, que faça de você um ser vivo. Quando virá? Faça-o você mesmo, por que não?
Ouça mais do que as sirenes de ambulância, crie histórias, componha músicas, reflita, inspire-se com alguma expressão feita por alguém quando ouve o som da sirene. Ouça a música infantil, pense no que ela representa para uma criança, quais são as lições, as mensagens. Verá que ela não é uma mera musiquinha aos ouvidos infantis.
Caminhe um pouco, respire um pouco e esqueça te todas as suas tarefas por, pelo menos, meia hora. Sente na calçada, olhe para o céu, observe os pássaros. E volte. Renove-se com momentos assim. Renove-se sempre, respire ares que nunca foram respirados antes, nunca foram sentido antes. Saia daquela mesmice por cinco minutos, dez, que seja.

Um comentário:

Natalia Campos disse...

Você escreve muito bem =D
Tão sincera nas palavras e real em cada pedaço do texto. Beijos, chérie. Au revoir (=