terça-feira, 24 de maio de 2011

Naquela pedra, naquele sono

De uma pedra distante, observava aquela pessoa que havia prometido viver comigo até quando os meus dias cessarem aqui, na Terra. Observa-o dormir, era quase um anjo. Estava num lugar distante, muito distante, não podia tocá-lo, mas nossos corações estavam perto um do outro. Esses, sim, podiam se tocar.

3 comentários:

mais amor, por favor. disse...

Corações são sempre assim, tocáveis, ainda mais quando tudo o que se sente é recíproco. Beijo, adorei teu cantinho!

Thaís A. disse...

Se isso era possível, então não precisavam de mais nada.

Milena Buarque disse...

Ah, esses corações que tornam as distâncias meros detalhes...